The Season

 

Esta é a época. E, de facto, esta época ou temporada, está a ser muito interessante em termos de produção de conteúdos vídeo para a web. O conceito de produção para distribuição gratuita na net – um pouco o caminho que tentamos percorrer de forma amadora aqui –  ganha terreno, com produções a surgirem um pouco em todo o lado. 

Levando as coisas um pouco mais longe temos agora um novo conceito, no mundo da escalada ou do outdoor se quiserem, uma série de 22 episódios produzida e pensada como “webtelevision”. 

Criada por Bryan Smith e Fitz Cahall, que são também os autores do The Dirtbag Diaries um original site com historias em formato de podcasts. Histórias escritas narradas e sonorizadas pelos próprios ou por ouvintes tendo como pano de fundo o mundo da montanha. 

Esta série webtelevisiva, um bonito neologismo, conta as histórias de cinco personagens, a que eles chamam atletas. Nunca gostei deste termo aplicado à escalada ou desportos outdoor. Imaginem, “conta as histórias de cinco atletas”…, e começamos logo a ver o Fernando Mamede a falhar mais uma medalha ou o Carlos Lopes 20 anos depois de LA, com o dobro do tamanho, a explicar o que sentiu quando deixou John Tracy e Charles Speddeing a comer asfalto ao km 37…enfim histórias do atletismo.

 Temos então cinco personagens: um escalador tradicional, um snowboarder, uma escaladora de bloco, um moutainbiker e um kayaker. Tendo como ponto de partida e motores da narrativa as suas histórias e vivências pessoais, todos se comprometem com a época que aí vem em busca de uma redenção, um sentido para a vida ou simplesmente passar um bom bocado a fazer o que mais gostam. A ideia da série é seguir as suas aventuras ao longo de uma temporada no Pacific Northwest, EUA, tentando, segundo os autores, focar a paixão pela actividade que praticam, e não a fama ou recompensas monetárias. E, nesse sentido, temos profissionais e amadores misturados nos famosos cinco, Tim, Ana, Zé…ok esqueçam. 

A origem no Dirtbags Diaries é importante, pois a grande mais valia desta série parece ser um argumento consistente, baseado em cinco histórias, de cinco pessoas de carne e osso e não cinco personagens de banda desenhada em que são muitas vezes transformados os escaladores nos filmes de escalada. Pessoas singulares, com defeitos, aspirações, demónios interiores e vidas comuns, humanos portanto. 

Totalmente filmada em HD, as imagens são deslumbrantes, precisas e profissionais. O cenário do Pacific Northwest  torna as coisas fáceis também. Imaginem a mesma série filmada na Serra de Valongo. Pois é! Eu sei. É mais o filme “Balas e Bolinhos”.

Para já saíram seis episódios, um geral de apresentação e os subsequentes onde as personagens se vão apresentando. O terceiro será talvez o que desperte mais curiosidade aos leitores desta página, uma vez que trata de bloco com uma história pungente de uma escaladora que tenta recuperar a sua forma depois de nove operações ao joelho esquerdo. Sim, simplesmente tentar voltar à escalada e não escalar a ou b cotados de x ou y,  simplesmente escalar porque o corpo mesmo massacrado parece já não saber fazer outra coisa. 

O sexto apresenta o escalador tradicional ou clássico, e tem um momento circense de cortar a respiração logo a abrir. Mas o objectivo central ou motivo é construir um novo entalador ou friend para tentar resolver um problema específico de uma via com uma perigosa expanding flack. Pouco comum e interessante, este argumento fez-me lembrar o famoso “Boni” um entalador mecânico desenvolvido pelo escalador de Vigo com o mesmo nome, nos anos 70 ou 80 não tenho a certeza, para as fissuras gigantes da Peneda. Todo um programa…engenho e adaptação sempre acompanharam a historia da escalada e nem sempre nos sítios mais óbvios. 

Apresentados os magníficos cinco, o meu episódio favorito até agora foi o do kayaker, mas todos são interessantes e cumprem o objectivo de prender o webtelespectador. 

A mecânica é a seguinte: Todas as semanas um episódio novo estreia no site da Arc’teryx e sempre que entra um novo o anterior passa para site da série  e para o Vimeo onde ficam todos alojados.

 É gratuito e é bom. A net no seu melhor.

3 Responses to The Season

  1. crash pad dummy diz:

    …sim, é de facto uma boa série, imagens bonitas, argumentos com sentido. É algo que nos dá vontade de voltar ao que já fazemos há muito tempo, por mais afastados que vamos estando, é algo que nos recorda o “core” da actividade. Bom, ainda assim, parece-me que a NB segue esse rumo, só falta introduzir os dramas pessoais (sem esquecer o episódio dramático do private Magno). Boa dica e bom poste.

  2. Pedro Rodrigues diz:

    De facto, do que pude ver até agora, parece-me um conceito inovador, capaz de cativar um público diverso (praticantes de diferentes actividades) e com potencial para fazer render o projecto por um tempo longo. Uma excelente ideia, tanto em termos comerciais, como conceptuais.

    A ver se a miúda melhora do joelho e se encadeia umas cenas duras.

    PS – O crash pad dummy já se está a fazer ao piso para um documentário acerca do seu drama “digital”…

Deixe uma Resposta para Pedro Rodrigues Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: