Os Sete Pilares do Bouldering. V Resiliência.

V. Resiliência. Levantado Do Chão.

Resiliência. Levar porrada, ir ao tapete, levantar-se e continuar a combater. Isto é boxe, e também é bouldering, com a diferença que para nós os rounds podem durar dias, meses, épocas, anos.

Quem não passou por isto nunca fez bloco. Quem nunca foi ao tapete por nockout, quando rebenta uma presa, nunca abriu blocos. Quem nunca perdeu por KO técnico, nunca aprendeu a colocar os pés. Quando soa a campainha, e saímos derrotados para o canto das frustrações, é preciso dar provas de resiliência e lutar mais uma vez.

O Filipe, como delfim da companhia, leva “porradinha de criar bicho”, dos blocos entenda-se, tem um poder de absorção enorme e geralmente, como convém, sai mais forte das provações, acabando por levar a água ao seu moinho. Fazendo a resiliência confundir-se com persistência.

O “Pata Negra” é produto da sua delirante imaginação e teimosia. Tem a mesma entrada do “Grão de Bico” derivando depois para a esquerda com uma grande abertura e posterior cruzamento ao encontro de um cristal assassino devorador de pele, numa sequência marcada pela grande qualidade ao nível do movimento. A saída é para especialistas em cristaleiras altas, com um high-step especialmente problemático. É ainda um bloco difícil de proteger devido à existência de um calhau na base, exigindo mais crashs que o habitual.

Vendo a FA fugir-lhe por entre os dedos na época passada, não esmoreceu, voltou mais forte e executou o bloco à primeira oportunidade, ser resiliente compensa, dizem. SM

Anúncios

15 Responses to Os Sete Pilares do Bouldering. V Resiliência.

  1. Cenários extraordinários!!!

  2. Rui Ramone diz:

    Muito bom, grande texto grandes imagens!

    Bota mais

    ass:Rui Ramone

  3. Ana Duarte diz:

    Como sempre, muito bom. Parabéns, Sérgio. Só tenho pena que já só faltem 2 pilares para esta óptima série acabar.

  4. Psico diz:

    Muito bom!

    Grandes blocos e grande edição!
    A música de Bonobo é a cereja!

    Keep Pushin´On!

  5. José Abreu diz:

    Parabéns

    Mais um grande vídeo.

    Penso que as primeiras cenas são mote para criar um pilar extra: “Segurador”

  6. nortebouldering diz:

    Obrigado a todos.
    Zé, de facto um pilar sobre a segurança seria uma grande ideia….mas estás a ser muito exigente porque o segurador inclina-se, instantaneamente, sobre o homem caído no chão num acto quase de compaixão, eu diria mesmo de comiseração.

    • Pedro Rodrigues diz:

      Ele gosta muito de festinhas e rebolar no chão… é de passar muito tempo na Cova do Garrano. 🙂

    • MC diz:

      Teoria Exotérica
      Aquele senhor, vestido de negro, e com uma coroa a brilhar, não estava ali a fazer o papel de assegurador. É a aparição do Anjo Negro, o portador das más notícias. E ao ouvido o anjo disse-lhe “Tenho uma boa e uma má notícia para te dar sobre o teu problema. Qual queres primeiro? ”ao que o blocador disse de forma sofredora, “a boa primeiro”. E então de forma sarcástica o anjo respondeu: “serás protagonista do primeiro encadeamento. A má, é que serás o assegurador”.

      Teoria Clínica
      nortebouldering diz: “a obsessão resvala para o lado patológico da escalada…”

      Aquele senhor de indumentária negra é um clínico, apenas está ali para prescrever medicandeamentos (encadeamentos medicados) todos eles naturais mas à base de concentrado de mitrisses, e tentar demover o Sr. Blocador a abandonar os tratamentos violentos de resinoterapia.
      Um ano depois, e após uma peregrinação ao Monte da Sra. da Assunção, a patologia de obsessão que o blocador padecia, evoluiu para uma situação benigna de resilência. Terá sido milagre ou devido aos produtos naturais aí existentes?

      • nortebouldering diz:

        MC, genialmente delirante, qualquer dia faço um dicionário com os termos que inventas, muito, muito bom.
        Não resisto a entrar na dança.

        Teoria Venatória
        Aquele senhor de negro era um espectador de montarias ao javali, que por acaso ali passava, e que vendo a acção logo se deixa envolver emotivamente nas complicadas manobras que envolvem a segurança no bloco. Só que, mesmerizado pelo espectáculo nunca visto, foi incapaz de abandonar a sua, natural, pose expectante com que geralmente observa tiroteios indiscriminados misturados com progressões desenfreadas de matilhas e assim só acordou do transe quando viu um vulto prostrado a seus pés. “Mais um incauto que não sabe ver caça”, foi o seu primeiro pensamento.

        Teoria Sombra do Lucky Luke
        Aquele senhor de negro é a sombra do próprio escalador, que assim caiu mais rápido que a sua própria sombra.

  7. Sesa diz:

    Gostei muito. As imagens ilustram muito bem o explanado. 5 estrelas.

  8. Pedro Rodrigues diz:

    Muito bem pensado o protagonista. Um bom exemplo de resiliência, perseverança, obsessão ou que quer que lhe queiramos chamar.

    Venha o próximo da saga.

    • nortebouldering diz:

      resiliência, perseverança, obsessão…eu não poria no mesmo saco as três expressões, embora as duas primeiras estejam ligadas, neste contexto entenda-se, e uma não exista sem a outra, a resiliência abre a porta à perseverança e esta por seu lado potencia a resiliência. Já a obsessão resvala para o lado patológico da escalada e, se pode conduzir ao sucesso nunca será um pilar pois o seu efeito é mais destrutivo do que construtivo.

      • crash pad dummy diz:

        …resiliência, ora aí está uma qualidade preciosa no bloco, e concordo com o Pedro, o Filipe é o melhor exemplo que poderias ter encontrado.

        Grande clip, pá!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: