NBabugem: Robinson Woods

Depois da adaptação para filme da história de Robin Hood e de Rabinho dos Bosques, surge pela mão da americana Babug Up productions, a história de Robinson Woods. A produtora americana, com a fusão de dois dos mais potentes e mediáticos blocadores americanos, conseguiu criar mais um super-heroi, Robinson Woods.

Ao lermos anterior parágrafo o leitor comum quase não necessitava de ver o filme, para o projectar de imediato na sua mente, visualizando lançamentos de regletes invisíveis para outras ainda mais pequenas, em pranchas a 45º e onde os pés só são usados para lamber a rocha. A verdade é que para nossa surpresa nada tem a ver com isto. Com o intuito de captar adeptos de filmes mais sóbrios, vistos por um público mais selectivo a Babug Up foi mais longe, e não só misturou um estilo de um blocador com um outro estiloso, como combinou estilos de cinema e deslocou-se para o velho continente, para filmar nos cenários bucólicos de uma das cinco melhores zonas de bloco do mundo, Babugic Wood.

Tudo isto é passado em tempos de crise. Robinson Woods, era um blocador da classe média que estava a subir de forma e decidiu mudar-se para um condomínio fechado em Monte Corno. Os encargos físicos para quem vivia em Monte Corno eram elevados, mas com muito sangue, suor e magnésio, Robinson Woods sempre conseguiu honrar com os seus compromissos. Mas um dia veio a crise, primeiro foi o descréscimo do PIB (Power Interno Bruto), depois veio o aumento do IBA (Imposto sobre a Babugem Acrescentada) e a sua situação ficou insustentável. Primeiro veio a desmotivação, mas logo percebeu que tinha de fazer alguma coisa para inverter o seu estado. Começou a pensar em zonas onde os encargos físicos fossem mais baixos, e logo se mudou, de zona em zona, até bater no fundo do poço, virou crente e foi pagar promessas sem provisão para “A Fátima”.

Farto de pagar promessas na áspera cristaleira, decidiu parar para pensar, descansar e amealhar os juros da pele que ali havia investido. Este foi este o momento de viragem para Robinson Woods, «vou abrir uma nova Zona de Bloco, onde as pessoas possam decidir quais os encargos físicos que querem ter, a babugem esteja erradicada e que os bens alimentares considerados essenciais, como os limonetes e batatas, estejam mais uniformemente distribuídos pela maioria dos blocos.» Foi com este discurso que Robinson Woods conseguiu cativar os primeiros blocadores a avançarem com ele para a criação de um novo Cantão, Babugic Wood.

 Quase todo o filme é inteiramente rodado neste Cantão da Confederation Helveticorno, num ambiente requintado, rodeado por blocos amadurecidos em sobra de carvalho. O ritmo que da acção, como em todos os filmes americanos, é definido pela chuva, que traz sempre uma mudança de cenário aliado a imagens violentas de treino. Tudo é passado de forma encoberta da sociedade, em caves de garagens e armazéns de uma forma quase intemporal. Por sua vez, o sol dos dias frios e secos, significa a felicidade passageira, vivida em Babugic Wood. E como uma desgraça nunca vem só, o filme explora também o drama desta felicidade passageira ter de ser vivida em dias alternados. Esta problemática é abordada subtilmente de forma metafórica (comparando os blocos de Babugic Wood, a uma rosa, a beleza da sua forma com a textura dos seus espinhos), isto de forma a não perturbar as peles mais macias.

Os custos desta produção ainda não foram revelados, a NBabugem visitou a cidade cinematográfica de Babugywood no sentido de poder obter essa informação. Devido ao deslumbramento de tantas beldades e de coisas que lhes pareciam querer saltar para as nossas mãos, não aguentamos e sacamos do material e fomos a elas, mas com a devida protecção, crash pad e adesivo, que os dedos já estavam um pouco tocados para o segundo dia de bloco. Já que não há números relativos ao custo da produção, fica aqui um relato de quem blocou um dia em Babugywood. «Realmente aquilo lá é só beldades, elas, as linhas, na maioria, o mais provável é que nunca passem apenas de encher o olho, algumas poderão ganhar um dia um NB+ e quem sabe não haja mesmo alguma possa ganhar a honrosa distinção de NB:).

 Toda a história é baseada em factos reais. MC

Anúncios

3 Responses to NBabugem: Robinson Woods

  1. nortebouldering diz:

    Bonita fábula MC. O “crocodílico” herói, abandona a sua Ítaca e parte numa viagem de redenção. E, tal como Ulisses volta a casa onde estava e sempre esteve aquilo que procurava, apenas encoberto por um véu de babugem. Épico.

  2. Pedro Rodrigues diz:

    Genial! Passa de babugem em babugem como se nada fosse. MC Babugem in the house.

  3. José Abreu diz:

    Fantástico! Só da para rir

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: