Quarta-Feira Fotos.Viveiros.

Dezembro 7, 2011

Nuno "Topas" nos Viveiros da Granja, Serra da Freita. Foto: Sérgio Martins.


O Resgate do Soldado Magno

Dezembro 11, 2009

Na génese de um bom nome de uma via de escalada ou problema de bloco tem, em minha opinião, de haver uma boa história. Daquelas que recordamos sempre com um sorriso fazendo-nos lembrar bons ou intensos momentos.

Aproveitando a onda das fissuras, que terá este fim-de-semana uma gala com concerto de vários maestros, mostramos este vídeo onde se aprende de tudo menos a escalar uma fissura com eficiência.

Vários maestros do bloco, tentam progredir como podem por uma fissura, – A Fissura da Granja – entalando-se somente quando absolutamente necessário. Uns ficam entalados, literalmente. Outros conseguem, no final, a ascensão, com poucos “entalanços”, mas conseguindo a repetição.

O bloco que dá nome a este post é um projecto que ficou ao lado da fissura em questão.

A fissura em si, aparece num bloco com cerca de 5 metros nos Viveiros da Granja, na Serra da Freita, começa extraprumada em fissura de mãos e depois na passagem para a vertical passa a “mãos e punhos”. Foi aberta pelo Americano Richard Cilley na sua estadia pela Serra da Freita, ver Um Fantasma na Freita. Primeiro, fez o bloco em pé e depois trabalhou a entrada sentada até conseguir ligar tudo, sempre sozinho e sem crashspads. Só para maestros, mesmo. Lembro-me de ele me ter dito que era hard, não sei bem o que isso significa na escala esotérica da classificação de fissuras, mas uma coisa sei, para escaladores, digamos “de face”, será sempre f#@$%hard.

Portanto, a fissura foi repetida, e abriu-se e ficou como projecto mais um magnífico bloco: O Resgate do Solado Magno, a ver nas cenas dos próximos capítulos.


Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.